Polícia de Hong Kong prende 7 por ‘auxiliar’ suspeito de esfaquear policial em protesto – Nacional

Polícia de Hong Kong prende 7 por ‘auxiliar’ suspeito de esfaquear policial em protesto – Nacional

10 de July de 2020 0 By Portal de Campo Grande
Avalie!
[Total: 0 Média: 0]

A polícia de Hong Kong disse na sexta-feira que prendeu sete pessoas por “ajudar” um homem suspeito de esfaquear um policial durante um protesto contra uma nova lei de segurança nacional em 1º de julho.

As autoridades prenderam cinco homens e duas mulheres com idades entre 24 e 71 anos por suspeita de ofensas, incluindo ajudar o suspeito a comprar uma passagem aérea e providenciar transporte para o aeroporto, informou a polícia em uma coletiva de imprensa.

Consulte Mais informação:

Austrália suspende acordo de extradição de Hong Kong e oferece caminho para residência

“Não descartamos a possibilidade de que mais pessoas sejam presas depois”, disse Yau Kin-hung, um policial sênior.

Em 2 de julho, a polícia prendeu um homem de 24 anos no aeroporto por suspeita de esfaquear e ferir um policial durante a manifestação poucas horas após a imposição da nova lei.

A história continua abaixo do anúncio

A polícia prendeu mais de 300 pessoas após os protestos em 1º de julho, disparando canhões de água e gás lacrimogêneo contra manifestantes que desafiaram a ampla legislação de segurança introduzida pela China para eliminar a dissidência na ex-colônia britânica.






Embaixador chinês acusa Reino Unido de “interferência bruta” em Hong Kong


Embaixador chinês acusa Reino Unido de “interferência bruta” em Hong Kong

A legislação pune crimes relacionados à secessão, subversão, terrorismo e conluio com forças estrangeiras, com punições até prisão perpétua.

A polícia disse que os sete presos podem pegar até 10 anos de prisão por “ajudar” o suspeito.

Após o incidente, a polícia de Hong Kong postou imagens no twitter do policial com um braço sangrando, dizendo que ele foi esfaqueado por “manifestantes segurando objetos afiados”.

Consulte Mais informação:

Pequim abre nova sede de segurança nacional em hotel de Hong Kong

A história continua abaixo do anúncio

O parlamento chinês adotou a lei de segurança em resposta a protestos no ano passado, desencadeados por temores de Pequim de sufocar as liberdades da cidade e ameaçar sua independência judicial, garantida pela fórmula de “um país, dois sistemas” acordada quando retornou à China.

Pequim negou interferências e as autoridades dizem que a lei é vital para abrir buracos nas defesas de segurança nacional expostas pelos protestos.

(Reportagem de Anne Marie Roantree, Donny Kwok, Yanni Chow e Carol Mang; escrita por Farah Master; edição por Simon Cameron-Moore)