OODA revela museu do futebol e HQ da Liga Portugal

14 de October de 2020 0 By Portal de Campo Grande
Avalie!
[Total: 0 Média: 0]

O estúdio de arquitetura OODA projetou um escritório em forma de cubo sobre um museu coberto com telhado verde para o órgão dirigente do futebol português.

Projetada para ser a sede da Liga Portuguesa de Futebol Profissional – órgão que gere o futebol profissional em Portugal também conhecida como Liga Portugal -, o escritório e o museu serão construídos no Porto.

Museu do futebol e HQ da Liga Portugal pela OODA
OODA projetou um HQ para a Liga Portugal

A sede será dividida em dois elementos principais: um edifício térreo que será coberto com uma cobertura verde e um bloco de escritórios em forma de cubo.

O longo edifício baixo irá conter um auditório para mais de 400 pessoas, um museu do futebol e uma loja de venda de mercadorias das 36 equipas das duas primeiras divisões do futebol português.

Museu do futebol e HQ da Liga Portugal pela OODA
A sede conterá um auditório com 400 lugares

Acima do pódio de um andar estará um bloco de sete andares que abrigará os escritórios da Liga Portugal.

O espaço de escritórios em plano aberto será fechado com fachadas de vidro que serão cobertas por um revestimento em forma de hexágono e terá vários terraços ao ar livre recortados.

Museu do futebol e HQ da Liga Portugal pela OODA
O bloco em forma de cubo conterá escritórios de plano aberto

A sede da Liga Portugal está prevista para ser construída na zona de Ramalde, no Porto, e inclui uma praça pública, que se destina a ser um ponto de encontro da zona.

“É um projecto com forte carácter público, que vai privilegiar uma zona da cidade por vezes esquecida, através da construção de um edifício institucional, que é ao mesmo tempo um espaço desportivo, cultural e de lazer”, disse João Jesus, sócio da OODA.

“No entanto, procurou-se potenciar a utilização dos seus espaços, exteriores e interiores, como uma interface tripartida: o público, a cidade envolvente e a programação que contém”, acrescentou Jesus.

A OODA, com sede no Porto, foi criada em 2010 e é dirigida por Diogo Brito, Francisco Lencastre, Rodrigo Vilas-Boas, João Jesus e Julião Pinto Leite.

O atelier de arquitectura está também a trabalhar com Kengo Kuma para transformar um matadouro abandonado no bairro de Campanhã, no Porto, num centro cultural. Também foi concluída a reforma de um apartamento por trás de uma fachada de azulejos e um apartamento com rede na escada da cidade.