A polícia bielorrussa vira canhões de água contra os manifestantes enquanto milhares se manifestam contra Lukashenko – Nacional

A polícia bielorrussa vira canhões de água contra os manifestantes enquanto milhares se manifestam contra Lukashenko – Nacional

4 de October de 2020 0 By Portal de Campo Grande
Avalie!
[Total: 0 Média: 0]

Dezenas de milhares de pessoas marcharam pelo centro da capital da Bielorrússia, Minsk, no domingo, para exigir que as autoridades libertem os presos políticos, levando a polícia a apontar canhões de água contra eles.

A marcha coroou uma série de comícios na Bielo-Rússia desde a eleição de 9 de agosto, na qual o presidente Alexander Lukashenko conquistou uma vitória esmagadora. Seus oponentes dizem que foi fraudado para lhe conceder um sexto mandato no poder.

A multidão, agitando bandeiras brancas com uma faixa vermelha, marchou ao som de tambores em direção aos centros de detenção onde se acreditava que os presos políticos estavam detidos, de acordo com fotos e vídeos postados nas redes sociais.

Consulte Mais informação:

Manifestantes da Bielo-Rússia detidos pela polícia enquanto dezenas de milhares se manifestam contra Lukashenko

A polícia bielorrussa usou canhões de água montados em veículos blindados da polícia para dispersar os manifestantes e deter dezenas de manifestantes.

A história continua abaixo do anúncio

Policiais armados com capacetes pretos segurando cassetetes isolaram as ruas no centro de Minsk.

A internet móvel em Minsk caiu por volta do meio-dia e os canais de telegrama, o principal meio de comunicação e distribuição de fotos e vídeos dos protestos, pediram aos moradores de Minsk para desbloquear suas redes Wi-Fi se os manifestantes marcharem nas proximidades.


Clique para reproduzir o vídeo 'Conservadores elogiam as sanções dos liberais' à Bielo-Rússia em meio a protestos em andamento, pedem ações mais fortes contra a China



Conservadores elogiam as sanções dos liberais à Bielo-Rússia em meio a protestos em andamento, pedem uma ação mais forte contra a China


Conservadores elogiam as sanções dos liberais à Bielo-Rússia em meio a protestos em andamento, pedem uma ação mais forte contra a China

A crise política na Bielo-Rússia causou amplas repercussões para Minsk e seu aliado Moscou. Esta semana, a União Europeia e os Estados Unidos impuseram sanções a altos funcionários bielorrussos, mas pouparam Lukashenko.

A crise também aumentou a possibilidade de mais sanções contra Moscou, se este decidir oferecer uma mãozinha a Lukashenko. O rublo já caiu drasticamente com a perspectiva.

Lukashenko nega fraude eleitoral e foi inaugurado no final de setembro em cerimônia realizada sem qualquer anúncio prévio, trazendo mais protestos e condenações da UE, dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha.

A história continua abaixo do anúncio