40 famílias fogem da zona rural da Guatemala após grupo armado incendiar casas – Nacional

40 famílias fogem da zona rural da Guatemala após grupo armado incendiar casas – Nacional

16 de August de 2020 0 By Portal de Campo Grande
Avalie!
[Total: 0 Média: 0]

Quarenta famílias indígenas fugiram de suas casas no norte da Guatemala depois que um grupo armado ateou fogo em várias residências em terras ocupadas, disse um grupo de direitos à terra no domingo.

Grupos de camponeses envolvidos em ocupações de terra freqüentemente sofrem violência na nação centro-americana. A organização de defesa de direitos Global Witness em 2019 chamou a Guatemala de um dos lugares mais perigosos do mundo para os defensores dos direitos à terra.

O Comitê de Unidade Camponesa (CUC) da Guatemala disse que as famílias pertencem ao grupo indígena Q’eqchi ‘e são ex-trabalhadores da fazenda de café Cubilgüitz, no departamento de Alta Verapaz, demitidos há 15 anos sem indenização total.

Consulte Mais informação:

Homem guatemalteco identificado como vítima de afogamento no Lago Erie

Desde então, eles exigiram terras como compensação e ocuparam parte da fazenda em protesto, disse a representante do CUC Maria Josefa Macz.

A história continua abaixo do anúncio

“Ontem à noite, as 40 famílias foram forçadas a deixar suas casas, seus pertences e residências foram saqueados, semelhante à década de 1980”, disse o CUC em um comunicado, referindo-se a alguns dos anos mais sangrentos da Guerra Civil da Guatemala, quando aldeias eram frequentemente queimadas .

Não ficou claro quem estava por trás do ataque. No entanto, há pouco mais de um ano, outro grupo de pessoas começou a ocupar a terra e a intimidar os ex-trabalhadores, informou a CUC.

Segundo a CUC, os ex-trabalhadores moram em terras de Dorothee Dieseldorff, cuja família dirige a marca de café Dieseldorff Kaffee. Ela não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.






Começam confrontos entre a polícia e migrantes retidos entre a Guatemala e o México


Começam confrontos entre a polícia e migrantes retidos entre a Guatemala e o México

Em comentários relatados por jornais da Guatemala no mês passado, Dieseldorff disse que cerca de 300 pessoas invadiram suas terras em Alta Verapaz em março passado, destruindo plantações de seringueiras.

A história continua abaixo do anúncio

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos alertou sobre o aumento da morte de defensores dos direitos indígenas na Guatemala. Em um relatório do ano passado, contou 39 dessas mortes apenas em 2017 e 2018.

Um relatório da polícia disse que o grupo armado ameaçou policiais que tentaram entrar na área na noite de sábado e observou que seis casas foram deixadas “completamente queimadas”.

Consulte Mais informação:

Voo dos EUA transportando migrantes de volta para a Guatemala infectados com coronavírus: presidente

Macz disse que, além das seis casas que foram incineradas, outras quatro foram queimadas pela metade e nove foram saqueadas.

Um porta-voz do gabinete do presidente disse que as autoridades estão investigando o incidente.

Fotos postadas no Twitter pelo grupo de direitos indígenas Waqib ‘Kej mostram várias estruturas de uma história em chamas.